No passado dia 29 de Junho, o regime do Presidente Maduro anunciou que o Embaixador da União Europeia tinha 72 horas para abandonar o país. A União Europeia condena esta decisão e lamenta a isolação internacional que resultará desta decisão. 

"A profunda crise política e socioeconómica que a Venezuela atravessa actualmente só pode ser enfrentada através de uma solução pacífica e negociada entre os venezuelanos. Esta solução deve basear-se em eleições credíveis, no reconhecimento e respeito do papel e independência de todas as instituições democraticamente eleitas, nomeadamente a Assembleia Nacional, na libertação de todos os presos políticos e na defesa dos direitos humanos e das liberdades fundamentais. A UE reafirma os seus compromissos de apoiar o povo venezuelano e contribuir para resolver a crise política e aliviar o sofrimento da população através da sua assistência humanitária." - refere na sua declaração.

A declaração do Alto Representante pode ser consultada aqui.

Ministro dos Negócios Estrangeiros, Dr. Augusto Silva Santos, já se pronunciou sobre a questão que poderá ser consultada aqui.

  • Partilhe